Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cardilium

Cardilium

Quando?!

Quando dentro de mim as certezas esbarram com as incertezas e o tempo me invade o olhar alterando-me o disfarce, tenho a resposta que procuro nas horas seguintes castrando a negação das evidências.

Quando me doem os ombros e coloco o meu olhar num lugar distante quase demente, existe dentro de mim os escombros que procuro para reconstruir, tenho a resposta em mim do que tento achar na distância do meu eu.

Quando me tento disfarçar trocando os sentidos, tenho dentro de mim o sinal obrigatório do sentido que careço e procuro.

Quando me exponho à verdade que sinto, aniquilo a verdade produzida que gerei.

De cada vez que me desconstruo avanço pedaços de vida em direcção a mim próprio e, sou mais eu em cada porção de mim mesmo.

De cada vez que me arrebato sinto as estações bailarem-me nos pulsos que ergo sem temor.

 

3 comentários

Comentar post