Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cardilium

Cardilium

Há equações que resolvem três incógnitas

Por cada incógnita há uma equação. Há equações que resolvem três incógnitas. Como devem ter sido felizes todos os poetas que não tinham facebook, blog´s, instagram, etc etc etc.

 

Assim não foram alvos de terapia de bolso, de quem acha que entende muito bem a cabeça dos poetas. Assim: - Pessoa, Breyner, Espanca, Torga, Andrade, Queirós, e tantos outros livraram-se da análise de personalidade e delírio, em prol do gosto pelas figuras de estilo, a musicalidade das palavras, a mensagem do que na verdade tinham para dizer, em troca de consultas baratas acerca da obsessão de quem lê e, não entende o entendimento da poesia.

 

Terá obrigatoriamente um poeta que se suicidar?

Ou ser o que os outros querem que seja, no desentendimento da sua própria existência? Terá um poeta que - alguma coisa -?

 

Um poeta não tem coisa nenhuma Um poeta tem no seu refúgio tudo o que lhe assenta e precisa. Humor. Medo. Companhia. Amor. Realidade. Ficção. Observação. Amigos. Solidão. Mundo. Mundo. Mundo e mundo.

 

A incógnita e a equação deste texto está aqui - por cada incógnita há uma equação. Há equações que resolvem três incógnitas -