Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cardilium

Cardilium

escombros e val de mar

" ... vagueio nos escombros que ficaram em mim de alguma coisa que já nem recordo e, alguma coisa que não recordo, terá sido os escombros por onde vagueio. Este terrível esforço que não sabe se quer ser recordação, é forçosamente uma recordação. É nesta besta incongruente que vivo. É neste inquietante mundo que habito. É só por ser, porque na verdade isto é tudo e nada, são todas as primaveras longe das flores, todos os outonos fora de tempo, todos os invernos distantes da lenha a arder, todos os verões neste miserável bairro de criançada sem cidade, da cidade sem este bairro, de mães e esquinas, de tabernas de vinho com os homens soltos até maio ou depois, de gente que entra, sai e adormece, nos jardins de ópio à solta, e minha mãe já morta, e val de mar já deposto.

Eu, nos escombros sem terra, sem bairro e sem a quem amar, vagueio inquieto por mim adentro ..."

1 comentário

Comentar post