Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cardilium

Cardilium

de quem de nada ... tudo é

de nada tudo é feito, 

e feito de nada é a minha obra,

sem filhos que se lhe juntem,

mulheres que se recordem,

marés, madrugadas, arco-iris,

flores a perder de vista o olhar, 

livros rasgados e gastos de prazer,

ruídosos e vorazes desejos,

de quem de nada ... tudo é,

de quem já se ergueu da cova

 

 

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.