Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cardilium

Cardilium

Viagem

Na viagem mergulhei no que aprendi ser a vida. É uma descoberta. Uma descoberta cruel de despedidas, de desamores, de palavras desditas, de metamorfoses de emoções doridas e socorridas.

 

molhados da maresia

Há já mais de mil madrugadas que o nevoeiro raiava dos olhos de cada um deles,

nos quatro-olhos de dois pares,

por vezes baços,

outras mesmo molhados da maresia que os inundava.

Havia do verbo existir

Havia crianças e bailarinos, tambores e noites quentes de árvores silvadas ao vento,

flautas feitas de cana-da-índia e lábios escondidos nos canaviais,

havia perfumes adocicados pelas estações,

murmuradas noites grávidas de manhãs e manhãs embrulhadas de nós.

 

Havia do verbo existir. 

A mão dela sentiu a mão dele, surpreendida

Fosse valsa, tango, ou aquelas danças modernas, queria sentir-lhe o tacto,

Queria tactear aquele ser fascinante como o fazia com o olhar,

Queria ser luar de lua, calor de sol, acorde de música e intenção.

 

Palpitava-lhe o ser todo por completo a cada madrugada rebentada de dia,

Queria tocar-lhe a alma com o coração,

Sofrer a dor do medo de querer,

Ocupar a sua mente inteiriça por lhe apetecer.

 

Queria abundantemente,

Querer tanto,

Querer assazmente,

Loucamente querer.

 

Uma manhã de luz incandescente soube a sua designação,

O cheiro, e o sorriso.

Quando sentiu a mão dele acenar-lhe em boas-vindas,

Saboreou até uma lágrima.

 

Depois,

Estremeceu,

O caminho, o sonho e a poesia derramada de realidade aconteceram,

Numa vida inteira de mãos entrelaçadas.

 

A mão dela sentiu a mão dele, surpreendida.

a dança das nuvens e o vento

As estrelas brilham mais quando o vento dança com as nuvens,

e o céu se estende como a planície,

no recato de estrada velha de terra onde não há gente aquela hora,

jaz a velha casa ruinosa invadida pelas silvas e sons que invento ser vida,

ouve-se menos o silencio que o choro,

e as borboletas do cair da tarde adormeceram,

o infinito é talvez esta noite de estrelas que brilham,

com a dança das nuvens e o vento.

Estás

Que a morte saudosa da imagem se imortalize na sala onde me habituei a ver-te,

agora que não estás,

não te sinto ausente,

sinto que estás preparada,

que me deixaste de ti o tudo que és,

e levaste de mim o inteiro homem que sempre será o teu pai.

 

Agora que não estás,

o teu lugar ficou para sempre.

Estás.

Saudades antecipadas de presente

Entre amigos, os olhares são frases completas que não escusam as palavras. Elas, confirmam-se no brilho dos olhares. A saudade mais tarde, recordará as tardes desnecessitadas de demasiadas palavras, precisadas simplesmente de abraços e tempo.

Ontem tive saudades antecipadas de presente e amigos.

As mulheres, os filhos e a guerra colonial

As mulheres em murmúrio num choro quase proibido, esperam que a guerra lhes devolva os maridos para conhecerem os filhos.

Hoje, ainda há quem entenda isso como colonização ou independência nacional.

Vou ser sempre um individuo de impreparada compreensão e, não é porque o queira, é porque o meu coração não deixa.

Pág. 1/2