Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cardilium

Cardilium

Avante fatima misericordiosa

Já li muito sobre a festa do avante. Ja li menos, mas li qualquer coisa sobre cem mil pessoas em fatima em ajuntamento anárquico beatificado.

Diferenças? Há. Claro que as há, e ainda bem que as há.

Está tudo bem. deus protege os seus, a democracia protege os outros, depois venha o diabo e escolha. 

O avante é pecado, deus nos livre. Ainda somos este país assim, desconsciêncializado.

20200915_105554.jpg

 

 

 

Fica a saudade se for caso disso em jeito de recordação

Quase nunca tenho tempo para me despedir ou quero.

Arranjo desculpas como: - o que vivi foi a despedida construída no tempo; se é para perder não há manifestação de despedida que possa ser feita ou sentida -

Acontece-me com a morte dos que me partem, das amizades que se desvanecem no tempo, outras que nem foram amizades, não pegaram, como se lhes faltasse serem regadas ou a semente tivesse apodrecido, outras porque a amizade não é apenas estar juntos e frequentarmo-nos ou, frequentar os mesmos sítios, até porque denoto em mim uma maior frequência em sítios a que não pertenço, por diversas razões explicáveis e por grandeza de coerência por inexplicável razão.

As despedidas em mim são sempre feitas sem tempo.

O que acontece é, que o tempo é o aqui e o agora, tudo o resto ou é passado ou é futuro.

Fica a saudade se for caso disso em jeito de recordação.

20200912_001056.jpg

 

Nomes

Há nomes nas pessoas que  não se aplicam à sua fisionomia, assim entendo a chama de alguns nomes, o calor de outros, e outros ainda coisa nenhuma.

O teu? É o meu nome! Posso-me queimar, congelar, matar, viver, ou gritá-lo apenas.

O teu nome é a madrugada repetida, a insónia que espera a luz, o caminho suspenso sobre o mar, o luar e a saudade. 

Os nomes são o lago onde nos habitamos, reflectimos e somos.

20200912_001359.jpg

 

 

Vicente Jorge Silva

Vicente Jorge Silva, um homem cheio de homem dentro.

Um homem que me deu palavras construídas de frases. Que me ensinou e fez companhia.

Ontem, o jornal publico devia ter feito da primeira página - o Vicente -

Fosse a politica para o que a politica devia de ser e, não fosse a politica o fim para o que é.

Há homens que não partem, ausentam-se, já que o seu lugar não pode ser ocupado com a mesma sabedoria e seriedade.

Obrigadoc caro Vicente!

FB_IMG_1599755703212.jpg

 

Militância idealista

Não são os cravos a esperança, nem a madrugada.

Não são os homens, nem um deus qualquer, nem os poetas que ficaram.

A esperança, construção de cinquenta anos morre dia a dia sem enganos.

Há quem lhe conte os dias.

Fazem-me falta as madrugadas do medo, a militância idealista, o sonho. 

IMG_20200905_215905_529.jpg

 

 

 

Muralha dos olhos baços

As lágrimas que me salgam a pele, são as mesmas que me lavam a alma.

Lágrimas são lágrimas, são pedaços de luz devolvida na madrugada.

Escurece o mar que guarda o dia.

Danço a melodia do fumo que arde com o fogo que se esconde no peito, muralha dos olhos baços.

20200906_195040.jpg

 

 

 

 

Tigresa, Caetano e Ney

Anda como se não pisasse o chão. É assustadoramente presente e desligada. Em muitos homens deposita imensamente, amor e dor.

Todas as tardes escuta Caetano com vinho branco. Não há pele mais morena, nem mãos mais esguias. O sol despede-se dela que é o mundo. Sabe música a compasso e acerta com o ternário.

Sabe que cruel é não ter pão e chão. Sabe que cruel foi a menina que não foi. Sabe que cruel foi a mãe que não teve.

Com muitos homens aprendeu a ser mais homem do que mulher. Mulher que percebe desalma de homem, tem de dor o universo inteiro, e por defesa um exército completo.

O sol morreu ali. Ela saboreia o último gole, e trauteia a “tigresa” completa.

 

 

Festa do Avante etc...

O avante e a prenda envenenada comida em fausto banquete. 

O avante é como outra festa qualquer, outro ajuntamento qualquer, outro evento qualquer, mas não é uma festa qualquer, um ajuntamento qualquer ou um evento qualquer. 

O avante não é o avante. O avante é: - a festa do avante -  onde não se brinca à liberdade, onde existem os últimos marxistas/leninistas convictos, e só por essa convicção merecem o meu respeito, concorde ou não concorde com a ideologia.

Em boa verdade, o meu respeito pelos comunistas, não difere em nada do meu sentimento pelos católicos apostólicos romanos, crença que me foi dada pelo baptismo sem escolha em pia sacra baptismal.

Admiro ambos pela convicção, não creio em ambos pela absolvição, fé, entre outros credos não comuns ao meu ateísmo e ser apolítico.

Em ambos os casos não me parece que venha algum mal ao mundo a não ser democracia, fraternidade e igualdade, excepto raras excepções em adulterados entendimentos comportamentais das doutrinas que os rege aos dois.

Já fui à festa do avante bastantes vezes e gosto, gosto muito até, já fui à igreja muitas vezes e … é o que é.

Mas além destes pontos comuns o que eu queria mesmo escrever era acerca da prenda envenenada da não proibição da festa do avante. Sabemos que mesmo que corra bem vai correr mal. Que mesmo que não haja focos de infeção, haverá notícias que os há, e que os dividendos políticos serão sempre contra os malditos comunistas, e as próximas eleições recordá-los-ão disso mesmo.

Uma dúvida que me assalta.

Porquê o Jerónimo & C.A que de ingénuos não têm nada aceitarem tal presente?

É a força do capital a falar mais alto?

É o capital a tomar contra do proletariado?

Avante Camarada, avante. Aleluias!

 

Foto: Feira do livro 2020

FB_IMG_1598955718212.jpg

 

Saudosa floresta

Não me ocorre outra forma de te dizer que a distância e o tempo que está entre nós é como uma floresta onde o sol não consegue rasgar a vegetação, onde somente os raios de luz teimosos abruptamente sucumbem à resistência que teima em existir, mas, por pouca luz que haja, é a suficiente para manter vivo o que tem que se manter vivo.

Saudosa floresta 

20200830_101512.jpg