Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cardilium

Cardilium

Naif, essa complexidade elaborada da consciência da simplicidade

- Já madruguei nos teus braços e aninhei-me nos teus abraços;

 

- Já descansei ideias estafadas no teu ombro oferecido;

 

- Já me senti guerreiro e homem albergado;

 

- Já me senti elaborado e naif;

 

- Naif?

 

- Naif, não é mais do que a complexidade elaborada da consciência da simplicidade.

 

Ordeiro me desumanizo para de seguida me estorvar desta humanidade que não renego. Mais feliz seria, se mais alexitímico me forjasse. Deambulando cego e sem reconhecer estes campos de frio, cerro de crispação a minha face e os meus olhos nublados. Junto-me ao sol, que me devolve em raios, uma luz que não vislumbro. O céu levanta-se de madrugada de cor anil junto ao cruzeiro onde frugais horas me detive, degustando este prazer solitário de me equacionar vivente. No vale das salinas adivinho trémulas vidas agraciadas pela simplicidade. O moinho desfraldado a meu lado, sossegado, resistiu ao vento. Quando cinco minutos me parecem uma eternidade, a intemporalidade do tempo está inaugurada e já pouco interessa a sua medida. Desci vagarosamente a íngreme subida e, intacta, a minha vontade de alma cedeu ao solstício. Nessa manhã adormeci até tarde, muito tarde. Pela janela teimavam em me acordar pequenos pedaços de luz resistentes. Os ruídos habituais de sábado exalavam vindos da rua, não me apetece estar vivo quanto mais despertar. Este estado de meio sono, é a forma de ilusão mais próxima que tenho da alienação do meu todo colectivo feito um, num real e narcísico parecer. Não sou o que executo, bem como assim, o que executo não se coaduna com o que sou. Viver assim cansa. Exausto, me arrastam os dias aguardando-me prazeirosas, as noites. No interior da noite labuto com alegria e a recompensa solitária afaga-me de orvalho a minha loucura de ajuste e pertença, de verificação sensorial, dos amigos que se foram, dos parcos que se ficaram. O número em redução teima eu não se adicionar.  

 

- Naif, não é mais do que a complexidade elaborada da consciência da simplicidade.

1 comentário

Comentar post