Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cardilium

Cardilium

Os amigos são velhos como nós

Encostei-me para descansar. Estava quente a noite. Soprava uma aragem ainda mais quente do que a noite. Estava difícil suportar o que me queimava cá dentro. Tudo era quente. O mundo estava a ferver. Afagou-me e cabelo e perguntou o que eu tinha. Disse-lhe que um velho amigo estava a sofrer. Um amigo daqueles que não se vêm diariamente nem se precisa de ver. Amigos únicos e exclusivos, especiais e diferentes, umbilicais. Como sabes que está a sofrer? Perguntou. Respondi-lhe: “não sei, sinto”. Era como se aquela terra quente debaixo dos meus pés me inundasse de certeza. Como se eu tivesse que parar e deixar sentir o que me distanciava. Amando-se uma vez, não mais se deixa de amar. E eu amo aquele amigo e sei que o espírito dele não está sossegado. Sei que está ansioso, com medo, em busca de respostas, tenho a certeza. Estas coisas não se explicam a quem não tem amigos velhos. No monte da alegria saí de mim e voltei. Fiquei sossegado. Agora sim, sabia que a estrada era sinuosa mas que seria feita. 

 

Os amigos novos são amigos assim assim,  falta-lhes a preciosidade do tempo, a exclusividade do trilho por percorrer, porque é durante o caminho que as desistências existem. E continuei: Os amigos são velhos. Não existem amigos novos. Os amigos têm tempo de, e, na existência. Os amigos têm desavença e alegria. Os amigos têm defeitos, conhecimento, caminho palmilhado, vivência conjunta e lágrimas. Têm noites e madrugadas, dias e mar. Os amigos são intemporais. Os amigos têm palavra, sabem dos nossos gostos. Os amigos lêem-nos no olhar, nos passos e expressão. As palavras dos amigos são abraços e confrontos. Os amigos são frontais e presença. Os amigos não nos descrevem como sendo boas pessoas. Os amigos sabem mais do que reduzir isso a nós. Os amigos são velhos como a amizade … são velhos como nós.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.