Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

cardilium

cardilium

Baía de Sines

eu não sei se nesta espera o meu corpo resistirá,

sinto-o a ceder quando me sento defronte para a baía e:

 

- oiço os teus passos que já não podem ser os teus passos,

o teu cheiro que já não pode ser o teu cheiro,

o teu envergonhado sorriso que já não pode ser o teu envergonhado sorriso,

o teu silêncio glorificado transformado em mim no ruído do meu corpo,

na espera que aguardo,

sabendo que não virás mais, mas que me esperas -

 

agora,

restar-me-á a recordação, a saudade e as tardes defronte à baía a olhá-la,

cuidando dos laços que enlaçámos.